Tag Archives: Leopoldo Machado de Souza Barbosa

A Doutrina Espírita


 


doutrina-espirita

                           Reprodução Web

O que é

  • É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Génese.
  • “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.”   Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)
  • “O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.”   Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – Cap. VI – 4)

O que revela

  • Revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida.
  • Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento.

Sua abrangência

  • Trazendo conceitos novos sobre o homem e tudo o que o cerca, o Espiritismo toca em todas as áreas do conhecimento, das atividades e do comportamento humanos, abrindo uma nova era para a regeneração da Humanidade.
  • Pode e deve ser estudado, analisado e praticado em todos os aspectos fundamentais da vida, tais como: científico, filosófico, religioso, ético, moral, educacional, social.

Seus ensinos fundamentais

  • Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.
  • O Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais.
  • Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados, que são os homens, existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados. 
  • No Universo há outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evolução: iguais, mais evoluídos e menos evoluídos que os homens. 
  • Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é o seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais. 
  • O homem é um Espírito encarnado em um corpo material. O perispírito é o corpo semi-material que une o Espírito ao corpo material. 
  • Os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexiste e sobrevive a tudo. 
  • Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade. 
  • Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação. 
  • Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu próprio aprimoramento. 
  • Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforços que façam para chegar à perfeição. 
  • Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado: Espíritos Puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores. 
  • As relações dos Espíritos com os homens são constantes e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, sustentam-nos nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos induzem ao erro. 
    Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus. 
    A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade. 
  • O homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas conseqüências das suas ações. 
  • A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei de Deus. 
  • A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural e é o resultado de um sentimento inato no homem, assim como é inata a idéia da existência do Criador. 
  • A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. é este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

 


Fonte:  Leopoldo Machado



 

 

CONTATO

O Lar de Jesus

Reprodução
Lar de Jesus: Citado no Livro de Henrique Magalhães “Casa da Mãe Pobre 50 anos de amor”


 


O Lar de Jesus é uma instituição septuagenária, fundada por inspiração cristã e filantrópica por Marília Ferraz de Almeida Barbosa em 25 de dezembro de 1940.
                       
A foto abaixo é uma tomada de seus primeiros dias já em sua sede própria, construída em 1942, vendo-se as meninas internas na instituição na fachada do prédio instalado à  rua Professor Leopoldo Machado, n° 50, no bairro Caonze, em Nova Iguaçu, RJ.

A instituição procurou sempre trabalhar pelo próximo em diversos aspectos, tais como:

O amparo à criança mantendo um abrigo para menores, encaminhados sempre pela autoridade competente, proporcionando atendimento integral ao mesmo até sua reintegração ou maioridade;

O amparo ao idoso mantendo um programa de alimentação, dentro de suas possibilidades, para auxiliar no sustento de idosos previamente cadastrados;

Trabalhar a educação da criança ao adolescente, quando possível ao adulto, mantendo estabelecimento de ensino que possua qualidade e respeite as cotas necessárias à sua inscrição com certificação de fins filantrópicos;

Apoiar a cultura nos mais diferentes segmentos, mantendo uma biblioteca para consulta pública, sem qualquer ônus para os frquentadores.

Manter sob sua guarda acervo de imagens (fotos e vídeos) da evolução da região.

Apoiar à preservação da memória inclusive com edição de livros e de espaço memorial para visitação.

Reprodução


Fonte:  Colégio Leopoldo



 

 

CONTATO

Marília Ferraz de Almeida Barbosa

marilia.jpg.pagespeed.ce.0GeCPa3bSc

Reprodução
Marília Ferraz de Almeida Barbosa. esposa de Leopoldo Machado de Souza Barbosa: Citado no Livro de Henrique Magalhães “Casa da Mãe Pobre 50 anos de amor”


 


Em plena idade infantil foi residir com seus pais em Salvador, capital da Bahia, onde passou a sua adolescência. Era filha primogênita de Simpliciano Augusto de Almeida e Luiza Marcondes Ferraz de Almeida.

Seus pais procuraram dar-lhe educação aprimorada, deles, recebendo a benção do exemplo e da dignidade, o gosto pelo estudo, pelo trabalho, o estímulo para o seu espírito cristão.

Cresceu no seio de numerosa família ao lado de quatorze irmãos sendo ela a mais idosa. Participou ativamente no encaminhamento e educação dos irmãos, servindo-lhes de segunda mãe com dedicação e desvelo sem par.

Com dez anos de idade substituía a sua mãe extemosa na direção do lar, por ocasião de doença da mesma. Meiga e compreensiva, era surpreendente obedecida por todos. A ascendência moral e orientação dos irmãos mais novos, permaneceu para sempre no seio da família, os quais lhe respeitavam tanto, quanto seus próprios pais. Nada se fazia naquele lar, sem ouvi-la, a sua opinião ponderada e prudente era acatada por todos.

Alguns de seus irmãos, partiram cedo para espiritualidade, como o Anízio, o Rubens, o Otacílio, a Zenur e a Zilah. Outros ainda mais tarde, cultuando-lhe a doce lembrança, como o Jerônimo, Maria de Lourdes e Zenaide. Estas duas últimas foram suas grandes colaboradoras na sua obra apostolar. Sacrifício e renúncia no desempenho da nobre tarefa social e de solidariedade humana a que se consagrou por toda vida.

Marília Barbosa, tinha natural vocação para o magistério. No tempo de solteira, lecionou na Bahia, principalmente em Salvador. Regressando ao Rio, dedicou-se ao ensino na Baixada Fluminense, também esteve lecionando no Colégio Nacional em Paraíba do Sul, onde fez inúmeros amigos, porém, havia de ser na florescente cidade dos laranjais, que a sua obra de educação iria se afirmar definitivamente: Nova Iguaçu.

Antes de mencionar a sua mais fabulosa obra educacional, impõem-se a referência ao seu maior aliado, maior amigo e grande co-autor de suas vitórias e retumbantes sucessos!

Ainda em Salvador conheceu Leopoldo ( Leopoldo Machado de Souza Barbosa ), nada houve naquele período. Mais tarde no Rio de Janeiro reencontraram-se. Surgiria o afeto entre os dois. Casados morariam em Paraíba do Sul.

Casaram-se no dia 29 de dezembro de 1927,quando Leopoldo estava implantando seu trabalho em Paraíba do Sul, na filial do Colégio Nacional. Três anos após, a convite do Coronel Alberto Mello, prefeito de Nova Iguaçu, cujos filhos estudaram com Leopoldo no Méier e com o Almirante Paim Panplona querendo cessar o seu trabalho educacional, foram para Nova Iguaçu. Casamento no civil com uma prece unindo o casal.

Juntamente com Leopoldo, sua cunhada Leopoldina de Barros,sua sogra Anna Izabel e o estímulo econômico de Manoel Quintão, amigo ainda dos tempos de Salvador, fundaram em Nova Iguaçu, o Colégio Leopoldo, no dia primeiro de fevereiro de 1930, o primeiro estabelecimento regular e oficial do Recôncavo Fluminense. Sempre primou por um clima de absoluto de respeito religioso, embora seus fundadores e diretores sejam espíritas.

Seu magnífico exemplo de probidade magisterial, de tolerância religiosa, os seus gestos de bondade, simplicidade e modéstia, dados às gerações de seus educandos, constituíram um marco de luz na sua vida mestra e espírita.

Marília com o seu espírito amoroso e bom, foi uma esposa boa e dedicada para Leopoldo. Companheira de todas as horas, confidente, secretária, conselheira, a quem Leopoldo atendia com docilidade.

Em 1948, por ocasião do 1º Congresso de Mocidades Espíritas do Brasil, ela aderiu gostosamente à campanha de Leopoldo “Espiritismo de Vivos”, fundando Mocidades, participando de trabalhos de persuasão, adotando hinos espiritualizados nas sessões magnas, aplaudindo os programas de moços, o Teatro Espírita, a poesia, esquetes, declamações, piquenique, evangelização da infância.

Foi o braço direito de Leopoldo, no movimento de Mocidades Cristãs Espíritas.

Seu lema era servir, servir aos irmãos, servir à Doutrina. Por muito acompanhar o esposo nas suas andanças e conferências, também no seu impedimento assumia a tribuna. Dentro de pouco tempo, passou a ser solicitada para falar nas várias Instituições Espíritas, sua palavra simples e terna, espontânea e evangelizada deixava a todos embevecidos.

Foi presidente do Centro Espírita “Fé e Caridade”, dinamizando os seus trabalhos de ajuda aos menos favorecidos, fundando várias obras sociais, inclusive sua primeira Mocidade e Escola de Evangelização para Infância. Por ocasião das férias escolares, Leopoldo viajava por vários Estados e cidades do interior, nas quais ela sempre o acompanhava a serviço da Doutrina.

Certo dia, em uma visita à Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, visitando uma favela juntamente com irmãos da casa Francisco de Assis, uma criança perguntara: – no Natal do ano que vem a senhora volta?

Surgia o Lar de Jesus.

Certa noite ao saírem da oração no Fé em Nova Iguaçu encontraram uma família dormindo ao relento. Estavam de passagem por Nova Iguaçu e não tinham onde pernoitar. Surgia a idéia do Albergue Noturno concretizada pouco tempo depois com os companheiros do C. E. “Fé,Esperança e Caridade”. Com a ajuda de todos, dentro em pouco estava funcionando o Albergue Noturno “Allan Kardec”, obra assistencial nascida do coração, iniciativa e espírito de cooperação. O nome Mãe Marília, como era chamada carinhosamente por todos, surgiria naturalmente desta sequência de trabalhos pelo próximo.

Dia 13 de setembro de 1949, vítima de problemas oncológicos, despedia-se desta vida.

Desencarnou tranquilamente, recomendando a todos não chorar a partida, porém, orar sem lamentações porque apesar das saudades, estava feliz pelo dever cumprido.

Mãe Marília, vive na nossa memória, de seus amigos, seus parentes, seus ex-educandos, seus admiradores.

Em reconhecimento ao seu valor, de seu trabalho em prol da coletividade, o governo municipal, atendendo ao desejo do povo, deu à praça principal do bairro Caonze, em Nova Iguaçu,em terreno doado pelo Lar de Jesus à comunidade, bem em frente ao referido Lar de Jesus, o seu venerando nome, legado de amor e ternura à posteridade.


Fonte:  Colégio Leopoldo



 

 

CONTATO