Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Por (Eni) A festa junina é uma tradição e faz parte da cultura escolar, anima e promove a socialização entre crianças, famílias e professores. Os 75 alunos da creche Marieta Continue lendo >>>

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Por (Eni) Neste clima  de muita descontração, alegria e animação, que as criancinhas  da Creche Isabel a Redentora realizou o Arraiá de São João no ultimo dia 27. “Festas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Por (Eni)    Com o apoio da Casa da Mãe Pobre, as creches da Instituição Maria de Nazareth realizaram na tarde do dia 8 de dezembro (sábado),  a festa Continue lendo >>>

 

Tag Archives: Joanna D’arc

Joana d’ Arc – parte III

joana-3

                                                                       Reprodução Web


Capítulo IX


A Prisão de Joana

“Fracassado o cerco da Charité, Joana foi chamada à Corte.
Bem depressa, porém, a inação começa a pesar-lhe, e ei-la novamente deixando-se arrebatar por seu ardor.

Abandona o Rei aos prazeres festas em que se comprazia e à frente de uma tropa que lhe era decidida voa para Compiégne, então assediada.

E aí que lhe sucede cair prisioneira do Conde de Luxemburgo, do partido da Borgonha. Durante uma das sortidas, que constantemente fazia, o governador da Cidade, Guilherme Flavy, mandou arriar o rastilho, e a heroína, não podendo mais na praça, foi capturada.”

Joana d’ Arc – parte II

joana-2

                                                                       Reprodução Web


Capítulo IX


Joana e a sua caravana continuam avançando

“Ao entrar em Chinon, a pequena caravana desfilou pelas :nas ladeirentas, margeadas de edificações góticas. ( … ) Desde logo, às portas das casas, ou nos serões à noite, junto à lareira crepitante, começam a circular de boca em boca maravilhosos contos, em que figura como protagonista a donzela que viera dos confins da Lorena, para cumprir as profecias e pôr termo a insolente fortuna dos ingleses. Joana e sua escolta pousaram “em casa de uma boa mulher, perto do Castelo”, sem dúvida a do gentil-homem Reignier de La Barre, cuja viúva, ou filha, recebeu a Pucela com muita alegria. Passou aí dois dias, sem conseguir a audiência que pedira. Mais tarde, alojou-se no próprio Castelo, na Torre de Condray. Afinal, a tão desejada entrevista lhe foi concedida.

Joana d’ Arc – parte I

joana

                                                        Reprodução Web


Capítulo IX


Vida e morte de uma Heroína Cristã.

Joana, Pucela D’Orléans, é a França! A França bem-amada, a que devemos dedicar-nos tanto mais quanto maiores forem os seus infortúnios. “

Palavras do escritor Júlio Favre, pronunciadas em Antuérpia, referindo-se ao Processo de Reabilitação daquela heroína, transcrito do maravilhoso livro de Léon Denis – “Joana d’ Arc””_ pag. 288, o qual deve ser lido por todos os espíritas conscientes, tal a sua importância histórica).

Pedimos vênia à Diretoria da FEB, para transcrever este e outros tópicos que vão surgindo no decorrer da feitura deste modesto livro.