Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Por (Eni) A festa junina é uma tradição e faz parte da cultura escolar, anima e promove a socialização entre crianças, famílias e professores. Os 75 alunos da creche Marieta Continue lendo >>>

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Por (Eni) Neste clima  de muita descontração, alegria e animação, que as criancinhas  da Creche Isabel a Redentora realizou o Arraiá de São João no ultimo dia 27. “Festas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Por (Eni)    Com o apoio da Casa da Mãe Pobre, as creches da Instituição Maria de Nazareth realizaram na tarde do dia 8 de dezembro (sábado),  a festa Continue lendo >>>

 

Tag Archives: Dr. Friese

Elisabeth d’Espérance – parte III


Capítulo XIII


Esperance & Spirit

Reprodução Web
Esperance & Spirit

E comecei a assustar-me com o que podia ter acontecido.

– Vou dizê-la. Declarei publicamente esta noite que sou espírita, e apresentei a minha demissão de professor da Universidade.

O meu assombro era grande para que me fosse permitido fazer observações a respeito, e senti-me penalizada por sua causa. É certo que havia feito o possível para convencê-lo da verdade dos ensinos espíritas, mas nunca me viera a ideia de poder esse fato ter semelhante consequência; por isso, apesar da minha satisfação, experimentei algum pesar pelo sacrifício consumado.

Elisabeth d’Espérance – parte II


Capítulo XIII


Elisabeth d'Espérance

Reprodução Web
Elisabeth d’Espérance

 – Uso do título de doutor, mas não sou médico. Vinha visitar-vos em atenção à recomendação do meu velho amigo, o Prof. Zól1ner, de Leipzig, de quem acabo de receber uma carta.

Realmente, isso foi para mim uma surpresa desagradável. Eu não sabia o que havia de fazer ou dizer; minha face estava ardente e só desejava ocultar-me sob os lençóis para chorar. Ele viu o meu embaraço, porque começou a censurar o serviço do hotel, que julgava mal feito e muito incompleto. Eu disse-lhe que pouco sabia a tal respeito, porém que. realmente, ninguém se havia importado comigo desde a minha chegada. Meus amigos diariamente perguntavam-me como eu me achava, se necessitava de alguma coisa, e mais nada. Como não parecia desejar mais que ficar tranquila, submetiam-me perfeitamente a esse desejo.

Elisabeth d’Espérance


Capítulo XIII


Elisabeth D' Espérance

Reprodução Web
Elisabeth D’ Espérance

Pedimos vênia à FEB, para transcrever do livro “No País das Sombras” (4), trechos de grande importância, sobre as  faculdades da médium Elisabeth d’Espérance.

Elisabeth começa seu livro seguintes palavras:

Os sábios tornam-se espíritas

“Quando se fez ou se imagina ter feito uma grande descoberta, creio que o nosso primeiro impulso é espalhar a notícia ao redor de nós, não duvidando que ela seja apaixonadamente acolhida e tão altamente apreciada pelo resto do mundo, como o foi por nós.