Pentecostes

pentecostes

                                                             Reprodução Web


 


Capítulo V

Transcrevemos do livro do 2º Testamento, pág. 108 c 109, em Atos dos Apóstolos, cap. II – VS 01 a 12, o seguinte:

A Descida do Espírito Santo

 “E cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.”

Parece-nos que a frase “no mesmo lugar”, é indicativa de que tinham realizado outras reuniões no mesmo aposento.

“E repente veio do Céu um som de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estávamos sentados.”

A frase “e o vento impetuoso encheu toda a casa”, dá-nos a entender que se tratava de um fenômeno de efeitos físicos.

“E foram vistas por eles, línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.”

A frase “as línguas repartidas como que de fogo”, faz-nos entender que eram os Espíritos Superiores, que se apresentavam com sua luz própria.

E a exposição dos Apóstolos continua nos seguintes termos:

“Partas e medas, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia e Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia. Frigia e Pamphília. Egito e partes da Líbia, junto a Cirene. Forasteiros romanos, tanto judeus como os seus prosélitos. Cretenses e árabes, todos os temos ouvido em suas próprias línguas falar das Grandezas de Deus.”

“E todos se maravilhavam e estavam em suspenso, dizendo uns para os outros: O que quer isto dizer?”

“E outros, zombando diziam:

Estão cheios de mosto!” (A palavra mosto quer dizer: vinho doce).

Comentamos:

Todas as pessoas originárias dessas várias nacionalidades estavam pasmadas, pois nunca tinham assistido àqueles fenômenos.

E ainda, na atualidade, esses casos causam assombro aos que não estão habituados a assistir Reuniões Espíritas, onde trabalham médiuns de efeitos físicos, que produzem fenômenos dessa natureza.

“Vossos Filhos e Vossas Filhas Profetizarão”

(Atos, cap. 2 – vS. 17 e 41)

Em seu discurso, perante uma Assembléia de quase 3.000 pessoas, procedentes de vários países, pronunciando linguagens diferentes, Pedro respondeu às críticas acima mencionadas, nos seguintes termos:

“O Discurso de Pedro” Mas isto é o que nos foi dito pelo profeta Joel.

“E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne. E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão. Os vossos jovens, terão visões e os vossos velhos, terão sonhos.

E também do meu Espírito, derramarei sobre os meus servos e minhas servas naqueles dias, e profetizarão.”

Após esta revelação, Pedro continuou o seu discurso.

Naquela época imperava a servidão.

A mensagem descrita, foi enviada ao mundo, através o Profeta Joel e está inserida na “Bíblia Sagrada” – capo 2 – § 28, no “Velho Testamento”, traduzida por João Ferreira de Almeida, edição 1995-pág. 1173.

Comentamos:

As pessoas entendidas no assunto, afirmam que a chamada “Bíblia Sagrada, foi escrita e complementada há mais de 5.000 anos.

Por este importante documento, verificamos que as Autoridades Divinas deram a conhecer aos habitantes da Terra, o que iria acontecer em futuro distante.

Primeiro foram as revelações dos Espíritos Superiores, por intermédio dos doze médiuns – os discípulos de Jesus Cristo, em suas reuniões caseiras, culminando na famosa Reunião de “Pentecostes”, onde compareceram cerca de 3.000 habitantes da região, oriundos das várias nacionalidades, onde os Espíritos Superiores lhes ensinaram, em suas próprias línguas, as noções  da Boa Nova – ao que denominamos – Evangelho de Jesus Cristo.

Seguidamente, surge o Espiritismo, quase 2.000 anos após a Reunião de Pentecostes, onde os Espíritos Superiores revelaram ao mundo, através de vários médiuns c lugares diferentes, a maravilhosa doutrina, a qual Allan .Kardec, seu coordenador, deu o nome de Espiritismo – Científico, Filosófico, Cristão.

Nesta época – a que estamos, vivemos  – o povo, embora em número reduzido, já está preparado  para receber essa maravilhosa Doutrina.

Não esquecer que Pedro, o Grande Apóstolo de Jesus Cristo, achou como absolutamente válida essa profecia do Profeta Joel.

Os primeiros médiuns, nobres criaturas, fizeram parte das primeiras vítimas da mediunidade, abrindo caminho para os atuais.

Alguns foram condenados à morte e executados, por praticarem as Leis de Deus, reveladas ao mundo por Jesus Cristo.

Outros foram condenados à prisão, ou perderam todos os seus bens.

E quais foram os seus crimes? Atendiam a todas as pessoas que os procuravam para ajudá-las a resolver seus graves problemas, inclusive, aliviando ou curando as suas enfermidades.

Não é esse o gigantesco trabalho dos médiuns da atualidade?

As chamadas Reuniões de Caridade, vivem superlotadas de pessoas, muitas das quais enfermas, onde tudo lhes é oferecido de graça.

 


 


 

 

Fonte: Em Prol da Mediunidade

Pequena História do Espiritismo de Henrique Magalhães

 



 

 

CONTATO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...