1 - Henrique Magalhães fundador da Casa da Mãe Pobre

1 - Henrique Magalhães fundador da Casa da Mãe Pobre

\\\\\\“Compreendi o quanto estava distanciado de Jesus e de Deus, aprisionado no egoísmo…”\\\\\\ (Henrique Magalhães) Continue Lendo »

2 - Alan Kardec

2 - Alan Kardec

\\\\\\\"Você receberá, de retorno, tudo o que der aos outros, segundo a lei que nos rege os destinos.\\\\\\\" Allan Kardec Continue Lendo »

3 - Emmanuel e Chico Xavier

3 - Emmanuel e Chico Xavier

\\\\\\\"A humildade não está na pobreza, não está na indigência, na penúria, na necessidade, na nudez e nem na fome. A humildade está na pessoa que tendo o direito de reclamar, julgar, reprovar e tomar qualquer atitude compreensível no brio pessoal, apenas abençoa.\\\\\\\" (Emmanuel e Chico Xavier) Continue Lendo »

4 - Bezerra de Menezes e Divaldo Franco

4 - Bezerra de Menezes e Divaldo Franco

\\\\\\\"Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.\\\\\\\" (Bezerra de Menezes e Divaldo Franco) Continue Lendo »

5 - Joanna de Ângelis

5 - Joanna de Ângelis

\\\\\\\"A bondade é um pequeno esforço do dever de retribuir com alegria todas as dádivas que o homem frui, sem dar-se conta, sem nenhum esforço, por automatismo - como o sol, a lua e as estrelas, o firmamento, o ar, as paisagens, a água, os vegetais, os animais...\\\\\\\" (Joanna de Ângelis) Continue Lendo »

 

Joana d’ Arc – parte III

joana-3

                                                                       Reprodução Web


Capítulo IX


A Prisão de Joana

“Fracassado o cerco da Charité, Joana foi chamada à Corte.
Bem depressa, porém, a inação começa a pesar-lhe, e ei-la novamente deixando-se arrebatar por seu ardor.

Abandona o Rei aos prazeres festas em que se comprazia e à frente de uma tropa que lhe era decidida voa para Compiégne, então assediada.

E aí que lhe sucede cair prisioneira do Conde de Luxemburgo, do partido da Borgonha. Durante uma das sortidas, que constantemente fazia, o governador da Cidade, Guilherme Flavy, mandou arriar o rastilho, e a heroína, não podendo mais na praça, foi capturada.”

Joana d’ Arc – parte II

joana-2

                                                                       Reprodução Web


Capítulo IX


Joana e a sua caravana continuam avançando

“Ao entrar em Chinon, a pequena caravana desfilou pelas :nas ladeirentas, margeadas de edificações góticas. ( … ) Desde logo, às portas das casas, ou nos serões à noite, junto à lareira crepitante, começam a circular de boca em boca maravilhosos contos, em que figura como protagonista a donzela que viera dos confins da Lorena, para cumprir as profecias e pôr termo a insolente fortuna dos ingleses. Joana e sua escolta pousaram “em casa de uma boa mulher, perto do Castelo”, sem dúvida a do gentil-homem Reignier de La Barre, cuja viúva, ou filha, recebeu a Pucela com muita alegria. Passou aí dois dias, sem conseguir a audiência que pedira. Mais tarde, alojou-se no próprio Castelo, na Torre de Condray. Afinal, a tão desejada entrevista lhe foi concedida.

Joana d’ Arc – parte I

joana

                                                        Reprodução Web


Capítulo IX


Vida e morte de uma Heroína Cristã.

Joana, Pucela D’Orléans, é a França! A França bem-amada, a que devemos dedicar-nos tanto mais quanto maiores forem os seus infortúnios. “

Palavras do escritor Júlio Favre, pronunciadas em Antuérpia, referindo-se ao Processo de Reabilitação daquela heroína, transcrito do maravilhoso livro de Léon Denis – “Joana d’ Arc””_ pag. 288, o qual deve ser lido por todos os espíritas conscientes, tal a sua importância histórica).

Pedimos vênia à Diretoria da FEB, para transcrever este e outros tópicos que vão surgindo no decorrer da feitura deste modesto livro.