1 - Henrique Magalhães fundador da Casa da Mãe Pobre

1 - Henrique Magalhães fundador da Casa da Mãe Pobre

“Compreendi o quanto estava distanciado de Jesus e de Deus, aprisionado no egoísmo…” (Henrique Magalhães) Continue Lendo »

2 - Alan Kardec

2 - Alan Kardec

\\\"Você receberá, de retorno, tudo o que der aos outros, segundo a lei que nos rege os destinos.\\\" Allan Kardec Continue Lendo »

3 - Emmanuel e Chico Xavier

3 - Emmanuel e Chico Xavier

\\\"A humildade não está na pobreza, não está na indigência, na penúria, na necessidade, na nudez e nem na fome. A humildade está na pessoa que tendo o direito de reclamar, julgar, reprovar e tomar qualquer atitude compreensível no brio pessoal, apenas abençoa.\\\" (Emmanuel e Chico Xavier) Continue Lendo »

4 - Bezerra de Menezes e Divaldo Franco

4 - Bezerra de Menezes e Divaldo Franco

\\\"Solidários, seremos união. Separados uns dos outros seremos pontos de vista. Juntos, alcançaremos a realização de nossos propósitos.\\\" (Bezerra de Menezes e Divaldo Franco) Continue Lendo »

5 - Joanna de Ângelis

5 - Joanna de Ângelis

\\\"A bondade é um pequeno esforço do dever de retribuir com alegria todas as dádivas que o homem frui, sem dar-se conta, sem nenhum esforço, por automatismo - como o sol, a lua e as estrelas, o firmamento, o ar, as paisagens, a água, os vegetais, os animais...\\\" (Joanna de Ângelis) Continue Lendo »

 

Joana d’ Arc – parte I

joana

                                                        Reprodução Web


Capítulo IX


Vida e morte de uma Heroína Cristã.

Joana, Pucela D’Orléans, é a França! A França bem-amada, a que devemos dedicar-nos tanto mais quanto maiores forem os seus infortúnios. “

Palavras do escritor Júlio Favre, pronunciadas em Antuérpia, referindo-se ao Processo de Reabilitação daquela heroína, transcrito do maravilhoso livro de Léon Denis – “Joana d’ Arc””_ pag. 288, o qual deve ser lido por todos os espíritas conscientes, tal a sua importância histórica).

Pedimos vênia à Diretoria da FEB, para transcrever este e outros tópicos que vão surgindo no decorrer da feitura deste modesto livro.

Remontando às Origens – parte IV (final)


 


Capítulo VIII

espiritos

Reprodução Web

Ainda que as personalidades dos mortos, que se manifestavam assim pertencessem a todas as classes da sociedade, elas se mostravam acordes em exortar o médico a fazer conhecer, publicamente, as manifestações espíritas que se verificavam em sua e insistiam para que convidasse pessoas a assisti-las, porque, diziam elas, havia soado a hora em que os homens deviam se convencer, pelos fatos, da existência e da sobrevivência da alma. A este propósito, elas prediziam o inicio iminente de uma nova época em que a humanidade inteira reconheceria a possibilidade de se comunicar com os espíritos dos mortos e em que essas comunicações seriam livremente praticadas em todas as regiões da Terra, época de transformação e de renovação para o progresso dos povos.

Pular para a barra de ferramentas