Francisco Peixoto Lins


Capítulo XXVI


peixotinho

Reprodução Web
Francisco Peixoto Lins (Peixotinho)

Continuando o nosso trabalho, pedimos vênia à Editora Fraternidade Espírita Francisco Peixoto Lins, Recife, PE, para transcrever alguns tópicos do livro “Materialização o Amor”, de Humberto Vasconcelos, sobre o nosso querido o nosso querido amigo e médium Francisco Peixoto Lins: Peixotinho.

Depoimento do Prof. Pierre Ribeiro

Autenticidade

“O importante na mediunidade Peixotinho era a autenticidade  com que se manifestavam os  fenômenos.

Foram os Espíritos que revelaram a sua faculdade de efeitos físicos. Que ele era vidente, os fenômenos o atestavam. Mas, com relação aos efeitos físicos, os espíritos o revelaram. Aconselhavam que nos reuníssemos com insistência e necessário preparo, que a faculdade surgiria. Levamos mais de ano, experimentando e nos preparando para a grande tarefa. Não foi fácil. Os obstáculos quase sempre se antepunham às nossas pretensões. A falta de nosso preparo espiritual e a enfermidade do médium foram os dois maiores obstáculos.

Assim, atendendo às orientações que nos davam os Espíritos, começamos a nos reunir em horário certo, às terças-feiras e sábados, a partir das 20h. Meia hora depois de iniciada a reunião, quase sempre recebíamos uma mensagem. Mais de um ano permanecemos na expectativa, sem que nenhum fenômeno de efeito físico se produzisse. As entidades prescreviam abstenção de qualquer vício e recomendavam evitássemos o uso de carne na alimentação. Aconselhavam-nos os amigos da Espiritualidade que deveríamos dar maior finalidade à reunião. Foi assim que as curas começaram a ocorrer, antecipando-se aos fenômenos de materialização.

Com tão nobre finalidade, as reuniões passaram a contar com a assistência de Espíritos de maior expressão, e isso seria um meio de as tornarmos sérias, evitando inclusive a curiosidade. Diziam os espíritos que teríamos, antes, de tomar “chá de banco”, como apelidavam as reuniões isentas da presença de fenômenos de efeitos aparentes.

O longo período de preparação destinava-se a disciplinar os colaboradores e educá-los no sentido de que evitassem vícios comprometedores. Desses cuidados não se excluía sequer a figura do médium, que,jovem, ainda fazia uso de seus aperitivos. Além do mais, era asmático, doença cármica que não o abandonou.

Durante as crises mais severas, para amenizar a tosse que o martirizava e o impossibilitava de desempenhar adequadamente até mesmo suas obrigações profissionais, Peixotinho fazia uso de um medicação chamada PÓ Indiano. A aspiração da fumaça produzia essa medicação. Entretanto, era uma faca de dois gumes. De um lado amenizava as crises, do outro causava graves danos ao seu organismo e ainda corria o risco de causarlhe dependência.

Daí a preocupação dos Espíritos.”

Fenômenos

“A certa altura, os fenômenos de efeitos físicos começaram a despontar, apesar dos obstáculos.

Algumas curas eram realizadas, ainda com restrições. Os orientadores espirituais insistiam no seu propósito de disciplinar o grupo e o médium, naturalmente sempre cautelosos, pois não costumam interferir no nosso livre-arbítrio.”

Um Caso Especial de Materialização

Em 1952, Peixotinho visitou sua cidade natal, Fortaleza, da qual saíra aos 18 anos de idade.

Lá, atendendo à família espírita local, realizou algumas reuniões de tratamento, nas quais ocorreram notáveis fenômenos.

Numa dessas reuniões, materializou-se o espírito de Dª Maria Gonçalves Duarte, esposa desencamada do conferencista espírita português, Sr. Isidoro Duarte Santos. Foi autorizada a fotografia dessa experiência, resultando daí que, identificada a senhora, remeteu-se cópia da foto para seu esposo, em Portugal.

Essa foto foi publicada pela “Revista de Estudos Psíquicos”, editada naquele país, ao lado de uma fotografia da esposa de Leopoldo Machado, ambas desencarnadas. A identidade de traços é total. O interessante no caso é que a pessoa em apreço jamais estivera no Brasil.

Desse acontecimento resultou a vinda de Isidoro Duarte Santos ao Brasil. A essa altura, Peixotinho já estava residindo em Campos e, coincidentemente, numa das fases difíceis de sua saúde sempre precária. Ainda sim, compareceu à reunião regular de sua nova casa espírita, tendo sido admitida a presença do citado escritor. Nessa reunião, o esmo espírito de Dª Maria voltou a materializar-se, na presença do ex-esposo, em momento de grande emoção para os dois. A materialização não pôde ser total, não apresentando a mesma nitidez da primeira. O esposo, habituado a uma atividade crítica, pediu ao espírito que lhe oferecesse uma prova mais contundente de sua identidade. O espírito da mulher fez surgir na sala o perfume que o casal costumava usar, de cuja existência nenhuma outra pessoa estava informada.

O Sonho

“Uma certa mocinha, residente nas proximidades de Macaé, sonhou que tinha estado na guerra e levara um tiro na região dos intestinos. Amanheceu lavada de sangue. Os pais chamaram os médicos e estes, depois dos exames, diagnosticaram uma forte intoxicação intestinal. A par da enfermidade física, a moça sentiu-se muito perturbada. Esse fato levou seus pais a procurarem o Grupo Pedro.

Consultada a espiritualidade, através de Peixotinho houve referência à gravidade do acontecimento. Ocorrera, de fato, um fenômeno de efeitos físicos. Durante o sono, a moça fora transportada, em espírito, por entidades obsessoras, ao palco da guerra. E a agressão com que havia sonhado, de fato teria ocorrido. Nada se pôde fazer em benefício da moça, que desencarnou, vítima do problema, alguns dias depois.

O presente caso teve repercussão na imprensa da época, inclusive com registro do confrade Henrique Magalhães.”

 



… pág. 1  2  3  4


 

 

 

Fonte: Em Prol da Mediunidade

Pequena História do Espiritismo de Henrique Magalhães

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Top Postagens Mãe Pobre

2 Responses to Francisco Peixoto Lins

  1. renata says:

    ( =’o’= )( =’o’= )( =’o’= ) Oi, estou querendo uma opinião sua pois acompanho o seu blog e sempre estou atenta a tudo que você posta, estou querendo me tornar uma blogueira e estava procurando na internet vídeos de blogueira que estejam começando para ver como é, encontrei essa bloqueia https://youtu.be/G6yvbzc9wQA que postou esse vídeo, nossa fico com tanto medo de começar o meu blog, pois venho aqui em seu blog e vejo posts tão bem escritos, vou na youtube e encontro essa blogueira que já nos primeiro vídeos e tão simpática, me da um frio na barriga, do tipo sera que eu consigo também? como você consegue ter tanto assunto para postar sempre posts novos ? (• .•) (• .•) como você faz para ter tantas ideias para criar os posts ? Um beijão fico no aguardo da sua resposta (=’:’=)(=’:’=) (=’:’=)(=’:’=)(=’:’=)

    • eni says:

      Olá Renata, bom dia.
      Eu sou o (Eni) administrador do site http://www.casadamaepobre.org ao qual você fez a postagem em foco. Ob rigado por ler as minhas postagens. Sinto-me lisonjeado.
      Diga-me quais são suas dúvidas e tentarei ajudá-la no que me foi possível e com a minha disponibilidade de tempo. O meu site de uso pessoal é: http´://www.enicomputer.com e o emais enicomputer@gmail.com
      abs…
      (Eni)

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas