Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Por (Eni)    Com o apoio da Casa da Mãe Pobre, as creches da Instituição Maria de Nazareth realizaram na tarde do dia 8 de dezembro (sábado),  a festa Continue lendo >>>

Creches da Casa da Mãe Pobre comemoram o dia das crianças

Creches da Casa da Mãe Pobre comemoram o dia das crianças

Creche Marieta Navarro Gayo e  Creche Isabel a Redentora, promovem festa em homenagem às crianças. Por (Eni) Num clima bastante animado e descontraído, as Creches Marieta Navarro Gayo e Continue lendo >>>

Alunos do Instituto Stella Almeida – ISA, realizam importante visita  a CMP  e fazem doações

Alunos do Instituto Stella Almeida – ISA, realizam importante visita a CMP e fazem doações

Por (Eni) Alem  das relevantes doações que são importantes na nossa rotina diária, demonstraram enorme amor e carinho  para nossos idosos e crianças assistidas em nossas instituições. Os alunos Continue lendo >>>

 

Edson Cavalcante de Queiroz – parte III


Capítulo XXXII


Leve-se em conta, também, que em cada uma dessas cidades, os dois, ou seja, o médico médium, Dr. Edson Queiroz e o Espírito médico, Dr. Adolph Fritz, atendiam, em média a 100 ou 150 pessoas. Toda essa multidão de atendimentos era levada a efeito absolutamente de graça. E as testemunhas desses feitos, são os nossos irmãos que foram beneficiados e os jornais que publicaram o desenrolar dos trabalhos assistenciais.

Voltamos a perguntar: Quem repetirá essa proeza, na atualidade?
A quantidade dos que foram atendidos entres os padecentes de enfermidades comuns e os operados, era tão grande que levou as Sociedades de Medicina do Ceará e de Pernambuco, a iniciar inquérito judicial contra ele, alegando que a multidão de enfermos que eram atendidos sem nada pagarem, contrariavam os regulamentos da classe médica.

Levando-se em consideração, que cada ano é composto de 52 semanas, em 11 anos, temos o total de 572 semanas. Multiplicando esse elevado número de semanas, por 100 pessoas, atendidas semanalmente, temos a considerável soma de atendimentos elevada a 57.200 criaturas, atendidas graciosamente, pela dupla: Dr. Adolph Fritz, espírito incorporado e o médium, Dr. Edson Queiroz, médico aqui na Terra. Estou-me referindo, aos consulentes atendidos na Federação Espírita Pernambucana.

A grande maioria dos atendidos era de pessoas carentes.

Outros tinham sido tratados por médicos da Terra, sem resultado.

Junte-se a esse elevado número de criaturas atendidas, os vários milhares que foram beneficiados pela mesma “dupla”, nas várias cidades do solo brasileiro – “Coração do Mundo – Pátria do Evangelho”.

Minha Defesa ao Dr. Edson C. de Queiroz

Abaixo, transcrevo o artigo que publiquei na “Revista Internacional do Espiritismo”, em julho/1986, págs. 186 à 188, com o título: “Acusações da  Dr. Maria Julia P. M. Prieto Peres”, no qual defendo o Dr. Edson Queiroz:
“O artigo publicado na R.I.E. de abril de 1986, em que a Dra. Júlia P. M. Prieto Peres, tenta anular as faculdades mediúnicas do Dr. Edson C. Queiroz, bem assim os trabalhos em Medicina do espírito Dr. Adolpho Fritz, contém dois tópicos que pedimos permissão para transcrever, os quais rezam o seguinte:

“Enquanto alguns órgãos da imprensa espírita continuarem desinformando e contribuindo para a morte de pacientes com cardiopatias graves ou com câncer, que se julgam curados, sem a mínima comprovação médica, por simples cortes e agulhadas na pele – as absurdas operações no perispírito – a AME-SP continuará alertando esses pacientes e o público em geral para o perigo que correm e para as necessidades urgentes de terapia correta.

Enquanto o noticiário desse tipo continuar ocorrendo, a Associação Médico-Espírita de São Paulo, cônscia de sua responsabilidade, continuará tentando proteger a saúde pública contra os perigos do charlatanismo e defender o Espiritismo do ridículo em que a credulidade fanática o está afundando.”

Há a distinguir aqui as palavras “que se julgam curados”. As pessoas podem se julgar curadas, seja com as simples agulhadas, segundo a expressão de nossa irmã, ou quando são operadas pelos médicos da Terra. E algum tempo depois, a mesma enfermidade volta a brotar ou o paciente passa para o outro lado da vida. Esses acontecimentos são banais com os médicos da Terra, principalmente nos casos do câncer. E ninguém sai a campo para acusar o médico que operou o paciente, pois ele não tem culpa de que a operação tinha resultado inútil. São casos incuráveis, mas o médico, em última instância, faz uma tentativa em favor do enfermo. É um caso de humanidade.

Ainda no caso presente, nossa irmã não afirma que o Dr. Fritz, Espírito, diz aos pacientes que estão curados. Ela afirma simplesmente que “os doentes se julgam curados”.

Que culpa tem o Dr. Fritz, e concomitantemente o Dr. Edson Queiroz, se os doentes que o procuram, depois de receberem um simples tratamento ou operação se julguem curados? Vemos aqui uma acusação sem sentido.”
Operações no Perispírito?

“Estamos certos de que nossa irmã desconhece esse tipo de enfermidade e de cura. Acredito mesmo que poucas pessoas tenham passado por experiências desse tipo, e portanto desconhecem esse modo de cura, aplicado pelos médicos desencarnados.

A maioria das pessoas que estuda o Espiritismo em seus fundamentos, chega à conclusão de que as enfermidades graves que eclodem no corpo procedem do perispírito. Na época em que tais enfermidades têm de manifestar-se, elas se fazem presentes. Estão em estado latente no organismo da criatura.”

Ameaça de Pneumonia

Há aproximadamente oito anos fui acometido de estranha gripe. Minha esposa estava de passagem marcada com outras companheiras para visitar as cataratas de Iguaçu. De manhã fui com ela até o ônibus que as levou, e também a outros passageiros.

Por minha vez, tomei outro ônibus e viajei para Caratinga, onde tencionava tratar-me numa reunião de materialização a ser levada a efeito no Grupo Espírita Dr. Dias da Cruz. Na viagem piorei consideravelmente, o que me levou a recolher-me ao hotel, aguardando o desenrolar da enfermidade. À noite fui visitado por Dona Maria Coutinho, presidente do referido Agrupamento e mais dois médiuns. Além de levarem dois tipos de remédios para eu tomar de meia em meia hora, também me deram passes.

Naquela noite quase não dormi. Tinha a impressão nítida de que me atravessavam o cérebro com agulhas de segundo a segundo, causando-me dor imensa. Além desse mal-estar, transpirava por todos os poros, a ponto de molhar o lençol e as cobertas.

Em vista dessa anomalia resolvi embrulhar-me num cobertor e assim passei o resto da noite.

No dia imediato e em duas noites seguintes, não houve alteração. Não tinha apetite nem paladar. No sábado os companheiros do Grupo Espírita foram-me buscar, levando-me de carro para a reunião. Para me protegerem de qualquer golpe de ar colocaram-me dentro da cabine onde os espíritos trabalhavam.
Em dado momento o Espírito José Grosso, mandou-me levantar.

Estávamos às escuras, usual nas materializações. Dentro em pouco duas mãos seguraram minha cabeça e deram-me um beijo. Senti os lábios frios do Espírito em meu rosto e, inc1usive, leve cheiro desagradável. Tive a impressão de ser o cheiro do ectoplasma. Pouco depois o espírito José Grosso materializado chamou-me dizendo: “Magalhães, olha para mim. Agora posso mostrar-me com alguma luz”.

Realmente seu corpo aparecia com fraca luz opaca. Seguidamente mandou que fosse postar-me a seu lado, informando: “Não tenhas medo!” Assim fiz, colocando-me do seu lado esquerdo.

Nesse momento abracei-o. Ele era esguio e devia ter mais de dois metros de altura, pois minha cabeça não chegava a seu ombro.

Brincando ele colocou sua mão direita sobre minha cabeça dizendo: “Olha o tamanho dele! … “

Seguidamente mandou-me para o outro lado, onde se achava o Espírito Guia da Casa, Dr. Dias da Cruz, este também me abraçou, informando: “Sou eu, Magalhães!” Ele era entroncado. As vozes dos dois Espíritos eram completamente diferentes. Por último colocaram-me junto ao espírito Dr. Joseph Kleber que era quase da minha altura, dirigiu-me algumas palavras fraternas. A seguir tornei a sentar-me.

Quando me deitei na mesa de tratamento, que também servia às operações, o Espírito-Médico, Dr. Joseph Kleber, informou que meu estado inspirava cuidados. Estava ameaçado de uma pneumonia, motivo pelo qual marcou outra reunião para o dia seguinte, domingo, às 14h ,onde compareceu também um casal de São Paulo.

Essa reunião foi de incorporação. Apesar de todos os esforços, o Dr. Joseph pouco ou nada pôde fazer. Foi aí que ele falou novamente com a presidente do Grupo, Dª Maria, e marcou nova reunião para as 19h do mesmo dia. Dessa vez materializou-se.

Na hora marcada lá estavam as companheiras, disciplinadas e de boa vontade. Que povo bom são aquelas criaturas!

Iniciada a reunião levaram-me para a cabine, local das operações. E foi aí que observei e vivi a grande prova. Estava deitado sobre a mesa com o dorso nu. De repente senti, bem nitidamente, os cortes em meu peito. Não foi um nem dois … cortaram-me o peito em várias direções. Não eram cortes em sentido reto, mas em zigue-zague. A dor que experimentava era tremenda. Para não gritar, com as duas mãos agarrei-me nos dois lados da mesa, a fim de aguentar a dor.

Pensei naquele momento que deveria estar coberto de sangue.

Essa operação, se é que poderei chamá-la de operação, abrandou-me desde logo as dores que sentia no peito.

Terminado o tratamento levaram-me novamente ao hotel, com a recomendação de que deveria descansar.

 



… pág. 1  2  3  4  5


 

 

O artigo que publiquei na “Revista Internacional do Espiritismo”, em julho/1986, págs. 186 à 188, com o título: “Acusações da  Dr. Maria Julia P. M. Prieto Peres”, no qual defendo o Dr. Edson Queiroz:
“O artigo publicado na R.I.E. de abril de 1986, em que a Dra. Júlia P. M. Prieto Peres, tenta anular as faculdades mediúnicas do Dr. Edson C. Queiroz, bem assim os trabalhos em Medicina do espírito Dr. Adolpho Fritz, contém dois tópicos que pedimos permissão para transcrever.

Fonte: Em Prol da Mediunidade

Pequena História do Espiritismo de Henrique Magalhães



 

 

CONTATO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...