Dois Casos Interessantes

 


 


Capítulo VII

Observemos os casos abaixo:

Joanad’Arc

joanna-darc

                  Reprodução Web

Após ter arriscado a sua vida, na era de 1428, para que Carlos VII fosse coroado com o título de Rei da França, Joana, Pucela D’Orrléans, foi traída miseravelmente, sendo vendida pelo conde de Luuxembourg aos ingleses por dez mil libras tornesas, em ouro,grande importância na época. Por fim em 1430, entregaram-na ao Bispo de Beauvais, Pierre Cauchon, uma das maiores personalidades da famigerada Santa Inquisição, acusando-a de feiticeira, por causa das vozes, notadamente as do Arcanjo São Miguel, um dos Guias Espirituais, e de Santa Catarina que ela escutava, orientando-a. Após um processo ruidoso e vergonhoso, acusada de herética e relapsa, condenaram-na à morte, em praça pública, envolvida em chamas, o que ocorreu em 1431, quando contava 19 anos de idade. Foi um dos maiores crimes da Humanidade até a atualidade. Comentários mais completos, levados a efeito, pelo grande escritor Léon Denis, vão surgir mais adiante.

 

Zé Arigó – Edson Cavallcante de Queiroz

Arigó mediunizado em pleno trabalho

                Reprodução Web

Descontada embora a distância que separa Jesus Cristo de nós outros, os coxos e estropiados, somos levados a lembrar outros dois casos dolorosos: José Pedro de Freitas, o Zé Arigó, e o Dr. Edson Cavalcante de Queiroz. Após a morte do primeiro, por acidente de automóvel, e o assassinato do segundo, os dois infelizes companheiros, foram acusados de prevaricação. Todavia, as milhares de pessoas que foram beneficiadas, têm declarado, em público e pelos jornais, que jamais pagaram um só centavo, pelos benefícios que lhes foram ministrados. Outros detalhes mais minuciosos, serão noticiados, mais adiante, no modesto trabalho que estamos realizando.

 

 

 

 

Fonte: Em Prol da Mediunidade

Pequena História do Espiritismo de Henrique Magalhães

 



 

 

CONTATO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...