Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Por (Eni) A festa junina é uma tradição e faz parte da cultura escolar, anima e promove a socialização entre crianças, famílias e professores. Os 75 alunos da creche Marieta Continue lendo >>>

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Por (Eni) Neste clima  de muita descontração, alegria e animação, que as criancinhas  da Creche Isabel a Redentora realizou o Arraiá de São João no ultimo dia 27. “Festas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Creches realizam festa de encerramento do ano letivo na Casa da Mãe Pobre

Por (Eni)    Com o apoio da Casa da Mãe Pobre, as creches da Instituição Maria de Nazareth realizaram na tarde do dia 8 de dezembro (sábado),  a festa Continue lendo >>>

 

Divaldo Pereira Franco – parte IV


Capítulo XXXIV


Divaldo_Franco-300x225

Reprodução Web
Divaldo Pereira Franco

Depois de recebidos no aeroporto, Dr. João Zério e nós, ele brasileiro que reside nos Estados Unidos há muitos anos, hoje na cidade de Phoenix, no Arizona, professor universitário, tendo feito doutorado em Nova York e que seria o nosso tradutor – fomos para o hotel e demos início ao nosso programa.

No primeiro dia, que foi o onze de agosto de 86, proferimos uma conferência pública numa igreja de beleza ímpar, gótica, que havia sido alugada especialmente para aquela finalidade.

No dia seguinte, realizamos a segunda conferência, na sociedade dirigida pela Sr Marylin, que tem o nome de “Marylin’s Center”.

Ali, o número de afluentes foi tão grande que as acomodações não permitiram alojar todos os interessados. Foi necessário fechar a porta e dizer, à fila que se aglomerava do lado de fora, que, lamentavelmente, por falta de espaço e por questão de segurança, não se poderia admitir mais nenhuma pessoa. As escadarias ficaram repletas, as salas e o corredor.

Fizemos um estudo, estilo seminário, sintetizado, do fenômeno mediúnico, porque o nosso objetivo era apresentar Allan Kardec e o conceito espírita a essas Instituições, que são mediúnicas, acreditam na reencarnação, mas estão profundamente vinculadas ao orientalismo e às doutrinas esotéricas, xintoístas,taoístas e outras …

A nossa intenção, nessa segunda oportunidade, após havermos examinado, no dia anterior, a questão do surgimento do Espiritismo, era a de apresentar a conceituação kardequiana a respeito da dignidade medi única e dos recursos terapêuticos que se encontram à nossa disposição.

O tema que me foi sugerido era “Psiquiatria, loucura e obsessão”, no qual a Drª Marylin é versada, pela razão de ser uma psiquiatra PHD.

Realizamos a conferência, com a tradução de João Zério e, ao terminarmos, para fazermos uma demonstração da terapia bioenergética, pedimos um voluntário. Levantou-se um senhor, que estava na escadaria de acesso ao segundo piso, veio até nós, sentou-se e eu comecei a aplicar-lhe passes, conforme é usual esta prática, aqui no Brasil.

Quando estava terminando, Joanna de Angelis me disse que eu tinha diante de mim uma personalidade que realizava um trabalho expressivo e que vinha do passado trabalhando com dignidade e verdadeira elevação.

Ao concluir, agradeci-lhe a generosidade e disse-lhe que os Espíritos me haviam dito ter sido ele, na sua anterior reencarnação, um sacerdote belga, que havia vivido nas Ilhas Sandwich, no Havaí. Ele teve um impacto inicial. Logo depois, Joanna me informava que ele se chamara Damião de Veuster, aliás, já referido no nosso livro mediúnico “Sublime Expiação”. Joanna, então, começou a dar detalhes da carta que ele havia dirigido ao Papa e uma série de fatos probantes de sua existência passada.

O cavalheiro ficou muito emocionado. Em seguida levantou-se, e, de público, convidou a Drª Marylin, e ambos narravam, a duas vozes, que, anos atrás, ele havia recebido esta revelação por outra face. E como era um homem cético resolveu fazer pesquisas a respeito.

Viajou a Molokar, onde foi sentir a legitimidade daquela informação. Os dados que havia coligido eram extraordinários. Ele se identificou plenamente com essa realidade, o que o levou a escrever uma minuciosa biografia de Damião de Veuster, o célebre padre Damião, o leproso; e esta biografia estava semi concluída.

Agora, ele vinha ter, de uma pessoa absolutamente estranha – porque ele viera de outra cidade, exclusivamente para estar conosco – o fundamento que lhe dava a prova, sem margem de dúvidas, de que aquela informação era realidade. E mais do que isto: nas informações que eu lhe passara, haviam dados que ele não conseguira coligir e que iria agora pesquisar quanto à veracidade dessas novas revelações.

Ao lado disso, ele começou a perceber que, naqueles dados, ele se identificava, mais uma vez, com a emoção que havia vivido quando visitou as ilhas Sandwich.

Tão sensibilizado ficou, que nos pediu uma declaração por escrito,para colocar no livro, como respaldo à pesquisa que estava fazendo. O nome dele é Demitri Trifiatis. Este homem é filósofo, escritor, poeta, orientalista, participa dos trabalhos do Marylin’s Center, realizando uma tarefa verdadeiramente fascinante.

Isto é muito confortador, porque, por uma dessas “coincidências”, ontem, dia 8 de setembro de 1986,recebi uma carta dele.

Estávamos na “Mansão do Caminho”, no dia atrás mencionado e, no dia seguinte, 9 de setembro, quando gravamos este depoimento, Divaldo mostra a carta de Demitri Trifiatis. Está escrita em inglês, mas o próprio autor teve a gentileza de enviar também a tradução, que transcrevemos a seguir:

Montreal (Canadá), 22 de agosto de 1986.

Sr. Divaldo Pereira Franco

Rua Barão de Cotegipe, 124

Salvador – BA

Brasil

Querido Amigo Divaldo.

Já lá se vão duas semanas que tive o privilégio de o encontrar em Montreal, no Marylin’s Center, onde tive a graça de conversar consigo.

O nosso encontro foi para mim experiência luminosa, que eu considero o mais precioso encontro de minha vida espiritual.

O seu conhecimento, a sua humanidade, a sua espiritualidade, a sua evolução constituem um bem insuperável do mais profundo amor e da mais rica compreensão de um ser compassivo e generoso.

Todos aqueles que são tocados pelos dons que você possui, são transformados para sempre.

Fiquei sensibilizado pela fato maravilhoso de saber que você se ocupa de tantos órfãos. Deus o abençoe. Eu sei bem o que significa crescer sem a presença dos pais. Eu mesmo perdi os meus pais na minha tenra idade. Por esta razão desejo agradecer, do mais fundo do meu coração, o seu trabalho e o seu êxito monumental.

Eu peço a Deus que o guarde com boa saúde e ativo, pois este mundo precisa de pessoas privilegiadas, dinâmicas, especiais como você.

Com muito amor de Jesus, sou, seu irmão e admirador.

Demitri Trifiatis

(Damien)

PS. = Tenho fé de receber notícias suas, um dia.

E continua:

“Isto é muito importante, porque confirma a mediunidade naquele sentido de “universalidade do ensino”, a que se reporta com tanta propriedade o Codificador.

Foi um fato comovente, as pessoas emocionaram-se até as lágrimas, demonstrando, este fato tão singular, o que havíamos falado sobre mediunidade, identificação dos Espíritos, obsessões, e ali estava a ocorrência medi única que não deixava margem a qualquer dúvida.

Este fato vem confirmar o que ocorreu, no ano passado, em St. Petersburg, na Flórida (USA).

Realizávamos uma conferência para divulgar o Espiritismo ali. Ao terminarmos, pedimos um voluntário para manter um contato e aplicarmos a terapia bioenergética.

Veio um cavalheiro e sentou-se. Fizemos a aplicação do passe, explicamo-lo ao auditório selecionado, porquanto compunha-se de espiritualistas, de mentalistas e de curadores.

Ao terminarmos, tivemos oportunidade de ver alguns Espíritos que se identificaram e o dissemos ao nosso irmão.

Mas, não sabíamos que este homem era portador de um carcinoma. Para nossa surpresa, ao retomarmos este ano a St. Petersburg, o organizador do Seminário, (que agora foi de três dias) Senhor Reinaldo El. Torres, nos informava que aquele homem havia ficado radicalmente curado, começando a experimentar os resultados positivos logo naquela noite do passe, sendo que ele não dormia fazia mais de três meses.

E os médicos que o acompanhavam não tinham qualquer explicação para a sua cura imediata.

A notícia correu e, por efeito, estavam presentes, no Seminário deste ano, outros curadores, terapeutas, reverendos e missionários do Espiritualismo americano, interessados no aprendizado da técnica, que então explicamos com maior riqueza de detalhes.

O fato voltaria a repetir-se, na Cidade de Greensboro, na Carolina do Norte. Ali também realizamos um Seminário, que eles chamam de “Workshop” e, na noite seguinte, quando estávamos terminando, o auditório solicitou que demonstrássemos uma técnica de meditação e outra de bioenergia.

Pedimos um voluntário, e aproximou-se uma moça.

Sentou-se, e aplicamos-lhe a terapêutica. Os Bons Espíritos, então, nos disseram que ela estava com um problema muito sério de coluna, mas que prosseguisse com o tratamento especializado, o que lhe informamos.

Apareceu-nos, nesse momento, uma Entidade dizendo ser a mãe dela, o que lhe provocou uma grande emoção. Ao terminarmos, ela confirmou que estava em tratamento de coluna, razão pela qual se prontificara para a experiência.

Disse mais:

– O Senhor falou que minha mãe está aqui, eu poderia saber o nome dela?

Eu estranhei, mas disse-lhe o nome.

– O Senhor não repare – explicou-me – sucede que eu tive três mães, isto é, a minha mãe verdadeira, que morreu; depois fui encaminhada a duas casas de órfãos, onde vim a ter outras duas mães adotivas. Mas, nunca deixei de amar à minha mãe, que vem me dar esse recado. É a preocupação dela em vir dizer -me que continua apoiando-me e socorrendo-me.”

Comentamos:

É muito interessante o que relatamos em nossas palestras,impressionando os ouvintes, principalmente quando nossas palavras são acompanhadas de puros sentimentos de Amor.

Mas quando a oratória segue junto com as demonstrações termina vencendo todos os obstáculos e escolhos que coloquem no nosso caminho, através as comprovações que oferecemos.

Foi assim que os Apóstolos Pedro e João venceram os judeus, na Sinagoga, ao curarem na porta do Templo um coxo de nascença, que não podia andar e vivia pedindo esmolas. (Atos, 3,vs. 1 à 9)

É justamente essa estrada que o nosso irmão Divaldo Franco está trilhando. Após a palavra vitoriosa, surge a comprovação pelas curas que vem realizando, com seus passes magnéticos.

Divaldo e outros companheiros missionários, vieram à Terra comprovar que o livro que Humberto de Campos escreveu, “Brasil – Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”, não é uma ficção, mas sim uma realidade viva, que está sendo comprovada por vários fatos, especialmente os que acabamos de narrar.

Eles estão vivendo o que será o mundo nos futuros séculos que nos esperam.

Nosso Pensamento:

Divaldo Pereira Franco e outros trabalhadores do Bem, vieram ao mundo, com a missão ímpar de impulsionar no Brasil a Sementeira de Allan Kardec, o Grande Missionário, ou seja, de reviver no mundo, a pura Doutrina de Jesus Cristo, em seu Evangelho de Amor.

Juntamos-lhes outros missionários do Além, inclusive, André Luiz, que nos descortinou a vida após a morte.

E por último, surge a figura de Humberto de Campos, outro gigante do pensamento, anunciando a missão confiada por Jesus Cristo ao Brasil, em seu monumental livro “Brasil- Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”.

Todos nós que aprendemos as Leis de Deus através do Espiritismo’ somos chamados a tomar parte nesses combates, nas linhas de frente desse Glorioso Exército que tem por missão transformar o homem velho, cheio de vícios, no homem virtuoso, que está surgindo no horizonte.

Deus seja Louvado!

 



… pág. 1  2  3  4


 

Pedimos vênia à Livraria Espírita Editora, para transcrevermos trechos do maravilhoso livro “O Semeador de Estrelas” – autora Suely Caldas Schubert – que deve ser lido por todos os que apreciarem a boa leitura.

Fonte: Em Prol da Mediunidade

Pequena História do Espiritismo de Henrique Magalhães

 



 

 

CONTATO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...