Semana do Folclore na Creche Marieta Navarro Gayo

Semana do Folclore na Creche Marieta Navarro Gayo

Por  (Eni) O nosso país, é dono de uma riqueza cultural incomparável, graças à mistura entre diferentes etnias dos mais variados povos e culturas. O folclore brasileiro é bem Continue lendo >>>

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Por (Eni) A festa junina é uma tradição e faz parte da cultura escolar, anima e promove a socialização entre crianças, famílias e professores. Os 75 alunos da creche Marieta Continue lendo >>>

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Por (Eni) Neste clima  de muita descontração, alegria e animação, que as criancinhas  da Creche Isabel a Redentora realizou o Arraiá de São João no ultimo dia 27. “Festas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

 

Centésimo milésimo nascimento

feto

                          Reprodução Web


 


Pobremente vestida e portando chinelos velhos, a moça matriculou-se no pré-natal da Maternidade “Casa da Mãe Pobre”. Após longo tratamento, deu à luz uma criança, parto natural, sem maiores novidades.

Nesse dia, isto é, quando a parturiente acima citada, D. Gecy Faria, colocou no mundo sua filha, nove parturientes aguardavam o momento para o parto final.

Acontece que já tinham nascido na “Casa da Mãe Pobre” 99.999 crianças. A próxima a nascer completaria as 100.000. Esse detalhe mexeu com a curiosidade dos médicos. Telefonaram para a redação de alguns jornais, os quais mandaram fotógrafos e repórteres para o local.

A curiosidade crescia entre eles, chegando alguns a apostar com os colegas, na esperança de ganhar a aposta, baseada na parturiente que desse à luz a criança que completaria o expressivo número de cem mil nascimentos. Finalmente, às 17:00 horas e alguns minutos, nascia, da mãezinha acima mencionada, a centésima milésima criança, do sexo feminino.

Organizou-se uma solenidade para dois dias depois, à qual compareceram os mesmos repórteres e pessoas gradas. Entre outras, lá estiveram o Professor Gama Filho e alguns amigos seus auxiliares, da Universidade que leva o seu nome. No final da solenidade, ele nos entregou um cheque de Cr$ 5.000,00 (Cinco mil cruzeiros) para serem colocados numa Caderneta de Poupança juntamente com Cr$ 500,00 (quinhentos cruzeiros) oferecidos pela Financeira “Delfin”. Na época, a importância acima representava um donativo régio.

O Professor Gama Filho agraciou também a mãe felizarda com um documento que garantia à sua filha gratuidade em toda a sua formação escolar.

A mãezinha premiada era tão pobre que, para ela se apresentar dignamente no dia da referida festividade, um dos Diretores da Casa ofereceu-lhe um vestido e sapatos novos.

Quando a pobre mãe chegou em casa com a filhinha nos braços, foi informada de que seu companheiro tinha desaparecido, em companhia de outra mulher, mas logo que o desertor soube que a sua antiga companheira tinha sido agraciada com Cr$ 5.500,00, correu para o antigo barraco, juntando-se novamente à mãe da recém-nascida.

Passado alguns dias, D. Gecy Faria voltou à Maternidade para receber a importância. Exatamente nesse momento é que ela ficou sabendo que as duas dotações achavam-se depositadas numa Caderneta de Poupança em nome da filhinha, de acordo com as instruções dos doadores, só podendo ser retiradas quando a beneficiada alcançasse a maioridade.

Embora satisfeita com o ato generoso dos dois doadores, ficou frustrada por não poder lançar mão do dinheiro. E o pior é que quando o companheiro soube do caso, levantou de novo seu acampamento e voltou a juntar-se ao seu segundo amor!

Há homens que se equiparam aos animais. Aqui, unem-se a uma moça, fazendo-lhe mil promessas. Quando ela engravida, abandonam-na e juntam-se a outra. E assim usam, a seu modo, o tempo que Deus lhes concedeu para sua estada educativa no mundo. Depois, quando passam para o outro lado da vida, somente encontram o vazio em seus corações. Somente Deus sabe o que lhes acontecerá.

O Senhor os ilumine e a nós também.


 


ri_1

CMP

 

Fonte: Livro Casa da Mãe Pobre 50 anos de amor de Henrique Magalhães

 



 

 

CONTATO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...