Creche Isabel a Redentora comemora a chega da estação das flores

Creche Isabel a Redentora comemora a chega da estação das flores

Por (Eni) A primavera é uma estação de muita cor, luz,  alegria e prosperidade. As paisagens enchem-se de cores, deixando ruas, campos, parques e jardins com o aspecto alegre Continue lendo >>>

Semana do Folclore na Creche Marieta Navarro Gayo

Semana do Folclore na Creche Marieta Navarro Gayo

Por  (Eni) O nosso país, é dono de uma riqueza cultural incomparável, graças à mistura entre diferentes etnias dos mais variados povos e culturas. O folclore brasileiro é bem Continue lendo >>>

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Viva São Pedro e viva São João na Creche Marieta Navarro Gayo

Por (Eni) A festa junina é uma tradição e faz parte da cultura escolar, anima e promove a socialização entre crianças, famílias e professores. Os 75 alunos da creche Marieta Continue lendo >>>

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Viva São João e viva São Pedro na Creche Isabel a Redentora

Por (Eni) Neste clima  de muita descontração, alegria e animação, que as criancinhas  da Creche Isabel a Redentora realizou o Arraiá de São João no ultimo dia 27. “Festas Continue lendo >>>

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Natal das Crianças nas Creches Isabel “a Redentora” e Marieta Navarro Gaio

Divulgação CMP Por (Eni) Com muitas brincadeiras, músicas, danças e presentes as crianças  das Creches Isabel  “a Redentora”  de Teresópolis e Marieta Navarro Gaio sediada em Rio de Janeiro, foram contempladas Continue lendo >>>

 

Category Archives: Casa da Mãe Pobre – 50 anos de Amor

Auxílio de Instituições Estrangeiras

Instituições

Reprodução Web


 


Quando a “Casa da Mãe Pobre” estava construindo o edifício da Rua Ibituruna nº 81, na Praça da Bandeira, fomos informados de que algumas Entidades americanas poderiam ajudar-nos no empreendimento. Para esse fim, fomos à Embaixada Americana, cuja sede na época, ficava na Av. Presidente Wilson, no Rio de Janeiro.

A pessoa encarregada do setor competente, após inteirar-se dos detalhes da nossa Instituição, informou que nos Estados Unidos da América existiam quatro grandes Instituições que nos poderiam auxiliar e que a “Casa da Mãe Pobre” estava perfeitamente enquadrada em seus Estatutos. Entre elas achava-se a Fundação Rockfeller. De posse das informações escrevemos para todas elas, enviando-lhes a documentação necessária.

Irmão Virtulino

luta

                       Reprodução Web


 


Não nos lembramos de seu nome por inteiro.

Fazíamos parte, os dois, do “Grupo Espírita Trabalhadores da Ultima Hora”, que funcionava, inicialmente, no prédio da Federação Espírita Brasileira, Avenida Passos nº 30 e, posteriormente, na Rua Teófilo Otoni em prédio próprio da Fundação Marieta Gaio.

O Virtulino era de cor preta, puxava de uma perna e tinha o braço, do mesmo lado, paralítico. Confessou-nos, certa feita que, quando moço, morava no    Morro da Favela, por trás do Quartel General, no Rio, onde fazia parte de um grupo de valentões. Em suas arruaças, quando a polícia intervinha, usava como defesa pernas, braços e a cabeça, levando sempre a melhor. Ninguém lhe punha as mãos em cima.

A criança queimada

 

Mãe com filho ao colo

        Reprodução Web


 


Moravam, a pobre mãe e seus dois filhinhos menores, nos arrabaldes da cidade de Governador Valadares. Em outubro de 1961, quando aconteceram os fatos que vamos narrar, a menina tinha dois anos e meses e o garotinho somente seis meses. A genitora, certo dia, saiu de madrugada para o seu trabalho diário, deixando os petizes em cima de uma esteira estendida no chão, junto a uma candeia acesa, pois quando saía de casa ainda estava escuro.