Category Archives: CMP 50 anos de amor

Em Prol da Mediunidade


 


                      Foto: Acervo CMP

Pequena História do Espiritismo

 

Homenagens:

– Dr. João de Freitas – Guia Espiritual da “Casa da Mãe Pobre”;

– Aos Guias Espirituais que auxiliaram na sua elaboração;

– Francisco Cândido Xavier – grande amigo da nossa Entidade;

– Companheiros e companheiras da Instituição.

Às ditosas irmãs:

– Srª Sandra Regina Costa de Souza,

– Srª Albertina Escudeiro Sêco,

– Srª Telma Mendes,

– Srª Déa Maria Moreira de Medeiros.

Às minhas filhas

Déa Magalhães Amorim e Teresinha Magalhães Paiva.

Aos meus netos e netas.

À memória da minha querida esposa Zulmira Ferreira Magalhães.

 

 

Apresentação

A Doutrina Espírita


 


doutrina-espirita

                           Reprodução Web

O que é

  • É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Génese.
  • “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.”   Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)
  • “O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.”   Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – Cap. VI – 4)

Conselho de Jesus, histórias

Antes de tentar corrigir os erros dos outros é preciso ter noção dos nossos


 


jesus-e-discipulos2

                                                Reprodução

O educador conturbado comentava André, o apóstolo prestativo, as dificuldades para aperfeiçoar-se às verdades novas, quando Jesus narrou para a edificação de todos:

– Um homem, singularmente forte, que se especializara em variados serviços de reparação e reajustamento, foi convidado por um anjo a consertar um aleijado que aspirava ao ingresso no paraíso e aceitou a tarefa.

Avizinhou-se do enfermo, de martelo em punho, e, não obstante os gritos e lágrimas que a sua obra arrancava do infeliz, aprimorando-o, dia a dia, cumpriu o prometido.

Pular para a barra de ferramentas