Menu
Seções
Casa da Mãe Pobre, uma grande família
25 de setembro de 2015 Creche “Isabel a Redentora”, Teresópolis, RJ

Hoje (23/09) a turma da administração da Casa da Mãe Pobre, esteve no Asilo de Jacarepaguá para um estreitamento entre abrigados e funcionários. O resultado foi o melhor possível, pois aconteceu o que esperávamos: recebemos o carinho e a alegria de vovôs e vovós que lá moram há muitos anos e fazem questão de lá permanecerem.

WP_20150924_14_12_25_Pro

Foto divulgação: Acervo CMP


Por (Eni)


“No dia 20 de novembro de 1940, reuniu valoroso grupo de irmãs e irmãos idealistas e fundaram a Maternidade Casa da Mãe Pobre, na Rua Frei Pinto, 16, atualmente, 10 a 26. Três anos após, surgia a primeira Creche, em prédio próprio, no número 75 da mesma rua,e, logo a seguir, o Ambulatório Médico, para gestantes e crianças, com o fornecimento gratuito de remédios homeopáticos.

No ano de 1958 foram fundados, na cidade de Teresópolis, o Lar Izabel a Redentora, Rua Oliveira, 321, para velhinhos, e o Grupo Escolar Izabel a Redentora, que congrega 550 alunos do jardim à 4: série, e, na cidade do Rio de Janeiro, a Instituição Maria de Nazaré.

Presentemente, também no Rio, em Jacarepaguá, foi criado o Lar das Duas Marias para a internação de 40 velhinhos.

Henrique Magalhães, que relatou toda a sua vivência junto à Doutrina Espírita e à assistência social em dois trabalhos anteriores: Casa da Mãe Pobre – 50 anos de Amor, em que conta a história da criação dessa instituição, e Como Criar e Manter Obras Assistenciais, informando aos leitores toda a sua experiência no assunto, agora nos presenteia com Em Prol da Mediunidade, uma homenagem aos medianeiros da Espiritualidade, alguns deles verdadeiros mártires no cumprimento de sua missão.”

A Instituição Maria de Nazareth “Casa da Mãe Pobre” é uma Obra do Bem a serviço da caridade e do amor ao próximo.

“ Vivemos da Caridade e para a Caridade

Henrique Magalhães

Fonte:  Parte do texto retirado do Livro em Prol da Mediunidade, pequena história do Espiritismo de Henrique Magalhães

Galeria de Vídeos:

Os avós hoje – Que podem fazer?

Oliveros F. Otero & Fernando Corominas

Ao falar dos avós, há que distinguir entre os avós mais velhos e os avós jovens. Estas são as pessoas que começam a ter netos sem idade para ser avós ou avôs. Aqueles são os que passam dos 70 anos (ainda que a idade não diga tudo).

Por isso, quando afirmamos que os avós têm, hoje, um importantíssimo papel a desempenhar, a quem nos referimos?, aos jovens ou aos mais velhos?


   Pag…  1  2  3


 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
*