This is default featured post 1 title

Casa da Mãe Pobre

"Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque á sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor".
Saulo de Tarso »

This is default featured post 2 title

Casa da Mãe Pobre

"Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque á sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor".
Saulo de Tarso »

This is default featured post 3 title

Casa da Mãe Pobre

"Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque á sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor".
Saulo de Tarso »

This is default featured post 4 title

Casa da Mãe Pobre

"Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque á sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor".
Saulo de Tarso »

This is default featured post 5 title

Casa da Mãe Pobre

"Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque á sombra desse estandarte eles viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do Senhor".
Saulo de Tarso »

Casa da Mãe Pobre revive bailinho antigo de carnaval

“Ó abre alas que eu quero passar” (Chiquinha Gonzaga)

Divulgação: acervo CMP


Por (Eni)


A Instituição Maria de Nazareth abre com chave de ouro as festas de Carnaval de 2017.

O Abre Alas do Carnaval 2017 aconteceu na sede da Instituição Maria de Nazareth, promovido pela Pontual Farmacêutica e a Burbury Multicomunicação no ultimo dia 15 de fevereiro (quarta-feira). Neste “bailinho” de Carnaval da velha guarda, participaram idosos residentes, familiares, funcionários e colaboradores.

Carnaval

Reprodução


Por Emmanuel / Psicografia de Chico Xavier


Nenhum espírito equilibrado em face do bom senso, que deve presidir a existência das criaturas, pode fazer a apologia da loucura generalizada que adormece as consciências nas festas carnavalescas.

É lamentável que, na época atual, quando os conhecimentos novos felicitam a mentalidade humana, fornecendo-lhe a chave maravilhosa dos seus elevados destinos, descerrando-lhe as belezas e os objetivos sagrados da Vida, se verifiquem excessos dessa natureza entre as sociedades que se pavoneiam com o título de civilização. Enquanto os trabalhos e as dores abençoadas, geralmente incompreendidos pelos homens, lhes burilam o caráter e os sentimentos, prodigalizando-lhes os benefícios inapreciáveis do progresso espiritual, a licenciosidade desses dias prejudiciais opera, nas almas indecisas e necessitadas do amparo moral dos outros espíritos mais esclarecidos, a revivescência de animalidades que só os longos aprendizados fazem desaparecer.

“Casa da Mãe Pobre” tem o seu conto de Natal

Foto divulgação acervo CMP


Por (Eni)


O menino Yuri teve a sua infância assistida e amparada com os benefícios  da Casa da Mãe Pobre. Ao completar doze anos o nosso protagonista foi desligado do nosso serviço de assistência social como é a regra da nossa Instituição.

Demonstrando que é um menino de muita inteligência e participativo, pediu para ser um voluntário e foi prontamente aceito. Tem demonstrado que os jovens podem mudar os seus próprios destinos e construir também um mundo melhor.

Neste Natal,  ao receber uma bola do Papai Noel da Casa da Mãe Pobre, lembrou ao bom velhinho que quando tinha nove anos escreveu uma cartinha pedindo uma bicicleta e não recebeu nada.

Pular para a barra de ferramentas